terça-feira, janeiro 09, 2007

Udaca - 1999 - Portugal

Dão.
Tinto.

Um vinho muito bom, com personalidade marcante. Neste vinho sentimos os taninos, o álcool, o ácido e muito suavemente o amargo, mas é um vinho equilibrado, muito agradável.

No aroma apresenta alguma semelhança com o porto, amadeirado e caramelizado. Os aromas são complexos, intrigantes e convidativos.

A leve acidez o deixa refrescante e instigante. É importante que o ácido apareça no vinho, assim como, obviamente, o tanino e o álcool, mas eles não devem ofuscar as outras sensações, senão o vinho fica desequilibrado. Da mesma maneira como alguns brancos "suaves" contém muito açúcar, o que os deixa desequilibrados. Um vinho muito frutado, muito leve, que desce muito "redondo" pode ser um vinho chato, medíocre. O desafio do vinho é ter personalidade marcante, mas com equilíbio, provocando sensações agradáveis. A essência do vinho é o prazer!

Tem uma persistência bem razoável e um final muito agradável. Todas as 5 pessoas que provaram o vinho adoraram. Indico fortemente, pois foi um dos melhores vinhos dos últimos tempos. Tomamos acompanhando macarrão alho e óleo e bife de alcatra acebolado. Os temperos estavam suaves e harmonizou bem.

Compramos na Adega Funil, que fica na 204 Norte, em Brasília, pela indicação do funcionário da casa, por uns R$ 50,00. Realmente valeu a pena. Eu fico impressionado com a boa qualidade dos vinhos portugueses, que geralmente apresentam vinhos em patamares superiores as suas faixas de preços.

Abaixo uma foto da garrafa com uma pequena, mas representativa, amostra da minha biblioteca.

Um comentário:

Vinho para Todos disse...

Edgard, a biblioteca já seria interessante apenas pela presença de "O povo brasileiro".
Abraço!